SINCLAPOL se reúne com vice-governador Darci Piana

P1080742

Ontem, 31 de janeiro, o presidente do Sinclapol, Barddal, o vice presidente Daniel, diretor jurídico Barotto, diretor de assuntos parlamentares Góes, junto com o presidente da União da Polícia Civil, Vila, se reúne com o vice-governador do Paraná, Darci Piana. Aproveitamos para cumprimentar e congratular Darci Piana e também Calos Roberto Massa Junior (Governador) pela merecida vitória nas eleições. Num primeiro momento da reunião, o presidente Barddal agradece a oportunidade de expor os problemas da polícia civil e sua tentativa de profissionalizá-la.

A lei atual prevê 7.305 vagas, mas no efetivo não temos nem 4.000 policiais, a um custo altíssimo e uma efetividade pífia em razão da má gestão. O que revela uma necessidade urgente da confecção de um planejamento estratégico.

Para que isso ocorra, há a necessidade de que a gestão seja técnica e não mais política, o Presidente da República, já vem confirmando que não irá negociar cargos, então devemos aproveitar esse momento da história do nosso país. E o olhar da polícia civil deve ser voltado à prestação de bons serviços à comunidade, e não à política pela política. 

Em caráter emergencial, foi trazido à tona o assunto de superlotação de unidades da polícia civil no centro da cidade de Curitiba.  Delegacias, funcionários e presos sofrem com os cárceres onde se ultrapassa em mais de quatro vezes a capacidade, sensibilizado pela situação o vice-governador se dispôs a colaborar com a solução do problema.

Aproveitando a oportunidade, foi entregue ao vice-governador uma minuta de projeto de lei instituindo a carreira única na policial civil do Paraná, que já é uma proposta de lei apresentada pela COBRAPOL (Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis), na SENASP (Secretaria Nacional de Segurança Pública), órgão do Ministério da Justiça, e assim o Paraná sai na vanguarda sendo o primeiro a instituir carreira única em sua Polícia Judiciária.

Ressaltou o presidente Barddal que só no ano passado, houve seis suicídios na Polícia Civil do Paraná, por motivos diversos, mas deduz-se que a desarmonia interna e falta de condições de trabalho, assim como informações de recorrentes casos de assédio contra os nossos policiais corroboram contundentemente para este trágico desfecho.

Conforme explanação do Dr. Vernalha, a carreira única, do ponto de vista legislativo, é possível ao policial civil galgar os cargos da chefia e assumir responsabilidades conforme seu currículo funcional, considerando a exigência de curso superior para todos os ingressantes e a de bacharel em Direito para o de Delegado de Polícia, a formulação dos critérios objetivos de progressão e ascensão funcional, sob fundamentos na meritocracia com preenchimento dos pré-requisitos.

E como prioridade, o presidente traz o motivo principal desta audiência, que é a reposição inflacionária, buscando um posicionamento sobre a data base que nos é devida, pois a categoria está insatisfeita, frustrada, desmotivada e desestimulada com o retrocesso do poder de compra de nossos vencimentos, pois já estamos no quarto ano sem que nos seja paga a correção inflacionária e precisam de uma readequação salarial urgente.

Após todas as explanações e debates tivemos a grata satisfação de ouvir de nosso vice-governador que teremos nele um aliado para todos os nossos pleitos.

Desta forma encerrou-se a reunião.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

Fechar Menu