SINCLAPOL e COBRAPOL repudiam “resolução” de associação de delegados autointitulado Conselho Nacional de Chefes de Polícia

Em reunião realizada na COBRAPOL – Confederação Brasileira dos Policiais Civis nesta quinta-feira dia 28, foi aprovado o repúdio à Resolução nº 02/2018, emitida pelo “Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil”, que visa adotar dois modelos distintos de identidade funcional, um para os cargo de Delegado e outro para os demais cargos que compõem a Polícia Civil, que seriam adotados numa suposta “padronização” das carteiras funcionais em todos os Estados e no Distrito Federal.
A padronização é defendida desde que ocorra na significação autêntica da palavra, ou seja, a uniformização, sem diferenças. A resolução emitida pelo “Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil”, nitidamente manifesta o ensejo de dividir a carreira policial, que inexiste na legislação, mas que é arbitrariamente imposta dentro das delegacias e nas discrepâncias salariais.

Queremos que a padronização ocorra também nos cargos e salários em todo o país, por isso o SINCLAPOL defende o projeto da Lei Orgânica Nacional já protocolado no Ministério da Segurança Pública pela COBRAPOL, e que inclusive abrange a identificação visual da Polícia Civil.

Em resolução da diretoria, uma ação judicial contra o “Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil” será manifesta, considerando que tal entidade não tem competência jurídica para determinar diretrizes para as instituições, pois é uma associação de direito privado, composta por uma única carreira, sem qualquer interesse em fortalecer suas instituições, mas, tão-somente, o próprio cargo, de forma a elitizá-lo, inclusive, impondo o uso do pronome de tratamento errôneo ao autodenominarem-se doutores.
Conforme o Manual de Redação da Presidência da República orienta, o termo “doutor” deve ser dirigido às pessoas que tenham tal grau por terem concluído curso universitário de doutorado.
Tanto o SINCLAPOL e COBRAPOL defendem que a Polícia Civil é uma entidade única, composta de vários cargos dentro de uma mesma carreira, que devem ser valorizados de forma equânime.

Assessoria de imprensa SINCLAPOL

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

Fechar Menu