Precisamos voltar os olhos para nosso patrimônio maior, que é o ser humano.

“Precisamos voltar os olhos para nosso patrimônio maior, que é o ser humano, que é o servidor público, que tem doado a sua saúde em prol do próximo”, desabafa Barddal. Presidente do SINCLAPOL, em encontro com o secretário de Segurança Pública do governo Ratinho Junior, general Luiz Felipe Carbonell, comenta o fato de vivenciar policiais civis acometidos por adoecimento mental. Com pesar anuncia o falecimento (suicídio) do colega policial de Guarapuava, apontando o descaso por parte do Estado que não toma providências para solucionar esse problema que acompanha diariamente os policiais. Ressalta que mesmo sob tratamento com medicação controlada, não foi concedido afastamento das funções e sequer retirada a arma do policial. Relembra que na semana anterior esteve em Brasília apresentando a congressistas as especificidades das atividades da categoria bem como formalizou a denúncia à OIT-Organização Internacional do Trabalho, em relação ao excesso de trabalho dos policiais – superior das 40h semanais – principalmente nas pequenas cidades do interior do estado. A superlotação nas cadeias de delegacias, em especial a de São José dos Pinhais, também é assunto em pauta com o general Carbonell e o delegado-geral Rockembach, revelando projeto que está sendo desenvolvido para que pelo menos nas 37 cadeias públicas anexas a delegacias a gestão seja repassada a DEPEN. Conclui afirmando que está trabalhando intensamente na defesa da aposentadoria policial junto à Casa Civil: “Firmes na luta. Temos que defender a todos, não só da ativa, mas inclusive os aposentados.”

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

Fechar Menu