SINCLAPOL

Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná


Facebook SINCLAPOL Twitter SINCLAPOL Filiar-me ao SINCLAPOL
Policial Civil

SINCLAPOL SE REÚNE COM SECRETÁRIO DE SEGURANÇA.

Contrariando notas e manifestações contrárias à atuação do Secretário Wagner Mesquita, o Sinclapol foi recebido no início desta semana, dia 15 de janeiro, pelo Secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita, para debater sobre os problemas dos Policiais Civis .

Estavam presentes na reunião, Del. Francisco José Batista da Costa, diretor geral da Secretaria de Segurança, Del. Marcia Tavares dos Santos, assessora civil e Jorge Ricardo de Oliveira, chefe de gabinete do Secretário de Segurança, além dos representantes do Sinclapol, presidente Fábio Barddal Drummond, o diretor jurídico, Evandro dos Santos Baroto, o diretor de assuntos parlamentares, Rohanito Navarro de Góes e o ex-presidente do Sinclapol e atual presidente da Cobrapol, André Luiz Gutierrez.

Fábio Barddal procurou deixar claro ao Secretário que suas críticas são institucionais, apontando situações estruturais que devem ser resolvidas na Polícia Civil. Wagner Mesquita, por sua vez, reafirmou sua determinação e empenho no sentido de concretizar a retirada e o fim da custódia ilegal de presos, que hoje se encontram em delegacias de policia, de forma que o DEPEN (Departamento Penitenciário) assuma integralmente sua responsabilidade com a execução penal. “O Secretário demonstrou interesse e preocupação no sentido de solucionar estes problemas que se arrastam há décadas e prejudicam tanto a atividade policial civil.” Comenta Barddal.

Instalação de Shelters no 11º DP

O Sinclapol se manifestou absolutamente contrário à manutenção de policiais civis prestando serviços em unidades de execução penal pertencentes ao DEPEN. Um exemplo é exatamente a questão do 11º Distrito Policial da Capital, pois o mesmo hoje se denomina Cadeia Pública de Curitiba nº 1 e pertence ao DEPEN, como diversas delegacias pelo Estado, conforme resolução 76/2013, nos termos dos Decretos 4199/2012, 6392 e 6393/2012.

O Secretário assumiu o compromisso de transferir o 11º DP para outro prédio tendo em vista que ali é cadeia pública como acima demonstrado, entregando efetivamente o prédio para o DEPEN.

Desta forma os policiais que trabalham naquele local irão voltar a realizar o seu trabalho de Policial Civil através da investigação. “Ficamos satisfeitos, com o compromisso firmado pelo Secretário e confiamos que os presos só retornarão para aquele local quando ele efetivamente os recolher como Cadeia Pública de Curitiba Nº1,” diz Barddal.

Conforme estabelecido, iremos conferir tudo isto, junto com o Secretário em uma visita a Cadeia Pública de Curitiba Nº 1, quando será reafirmado este acordo, então publicamente. Para o presidente do Sinclapol, “este acordo foi de extrema relevância, pois define como será o procedimento da Sesp com relação a presos”.

Estatuto da Polícia Civil

Ainda durante o encontro com Wagner Mesquita ficou acordado sua participação nas reuniões da comissão do Estatuto da Polícia Civil, sendo a próxima prevista para o dia 25 de janeiro. “O objetivo é entregar o estatuto ao governador logo no inicio de fevereiro. O Secretário se comprometeu em participar das reuniões e defender os interesses da categoria promovendo a modernização da instituição através do novo estatuto, atendendo assim, anseios da categoria,” destaca o presidente.

A busca de soluções para os problemas da segurança pública devem sempre se sobrepor à intenções políticas de grupos, desta forma consideramos descabidas as declarações de associações e entidades que se sentem atingidas, pelo que se ventila, pelo fim de alguns privilégios, da ineficiência do Secretário Mesquita frente à pasta, principalmente pela alegação de que teria privilegiado a Polícia Civil em detrimento de outras instituições, lembrando que somente a questão de alimentação de presos, faz com que os gastos sejam percentualmente desproporcionais a elas. Através da atitude em buscar solucionar o problema de presos, com a instalação das celas modulares, somado as obras das novas penitenciárias, demonstra a busca de dar eficiência à pasta e com isso finalmente termos a possibilidade da retirada total dos presos das delegacias, pleito maior da categoria, podendo ser este o grande motivo das manifestações contrárias, pois sem presos em delegacias poderemos mostrar nossa eficiência, evitando a usurpação de função e sua falsa justificativa.