SINCLAPOL

Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná


Facebook SINCLAPOL Twitter SINCLAPOL Filiar-me ao SINCLAPOL
Policial Civil

PARABÉNS AOS “GUERREIROS DO PARANÁ”

O Sinclapol parabeniza os “GUERREIROS DO PARANÁ” que foram até Brasília-DF, no último dia 18 de abril, para defender os diretos de TODOS OS TRABALHADORES BRASILEIROS contra a PEC 287/16, a PEC da maldade. Liderados pelo Sinclapol, União da Polícia Civil - UPC e Sindipol Londrina, os Policiais Civis lotaram dois ônibus e percorreram quase 3.000 km para “LUTAR” pelos direitos de toda a categoria e de todos os brasileiros.

Em Brasília uniram-se à mobilização da UPB (União dos Policiais do Brasil), com mais de cinco mil participantes, em uma das maiores manifestações dos servidores da segurança pública do País.

Não podemos esquecer também dos Agentes Penitenciários e Policiais Rodoviários Federais paranaenses, que sob coordenação do Sindarspen e Sinprf-PR nas pessoas do Neves e Nunes, ombrearam esforços nesta Luta que é de todos.

Agradecimento especial ao Villa (UPC) que compôs com uma equipe da entidade o ônibus que saiu de Curitiba.

Leia abaixo a nota da UPB.

 

Nota da União dos Policias do Brasil

A UPB – União dos Policiais do Brasil, entidade que congrega 29 entidades representativas de todos os segmentos da Segurança Publica do território brasileiro informa que realizou na data de hoje, 18, a segunda manifestação nacional de luta em favor da valorização dos operadores de segurança pública.

A PEC 287/16 visa extinguir direitos adquiridos pela luta da categoria policial, tais como o reconhecimento da atividade de risco dos policiais, a aposentadoria policial, a integralidade e a paridade de vencimentos.

A UPB é a maior congregação de entidades de segurança pública já havida no Brasil e foi criada em razão da defesa dos direitos dos policiais, os quais foram duramente atacados pela PEC 287/16.

O ato contou com cerca de 5 mil policiais, de todos os cargos, de todo o segmento da segurança pública nacional, vindos de todos os estados federativos.

Durante o ato, parlamentares federais se pronunciaram contra a PEC 287. Quinhentas cruzes foram cravadas no gramado do congresso representando o assassinato de 500 policiais ocorridos desde 1º de janeiro de 2016. Caixões foram queimados simbolizando a perda do direito à aposentadoria, uma vez que o governo pretende que os policiais se aposentem aos 60 anos e a expectativa de vida do segmento é de 58 anos.

Durante o manifesto, um grupo de policiais tentou protocolar um documento na Câmara dos Deputados e foi impedido de acessar o prédio. Houve tensionamento que foi em seguida contornado. O documento foi protocolado.

A União dos Policiais do Brasil afirma que continuará lutando pela manutenção da aposentadoria policial e do reconhecimento da atividade de risco dos policiais.

UPB - União dos Policiais do Brasil