SINCLAPOL

Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná


Facebook SINCLAPOL Twitter SINCLAPOL Filiar-me ao SINCLAPOL
Policial Civil

Policiais Civis fazem manifestação contra a “Reforma da Previdência”

Nesta quarta-feira (13/03), cerca de sete mil Policiais Civis, Federais, Rodoviários, Bombeiros, Agentes Penitenciários, Guardas Municipais, integrantes da União dos Policiais do Brasil (UPB) e demais categorias que se uniram ao movimento, estiveram reunidos numa manifestação na Praça Nossa Senhora de Salete, em frente ao Palácio do Governo e da Assembleia Legislativa do Paraná, contra a reforma previdenciária (PEC 287). Essa manifestação aconteceu mais uma vez em todos os Estados e no Distrito Federal.

Os profissionais de segurança pública, por intermédio de seus lideres sindicais fizeram discursos em defesa da aposentadoria dos policiais, que arriscam suas vidas diariamente para que a sociedade viva mais tranquila. “Mais uma vez ficamos mobilizados em todo o País, para exigir que nossos direitos policiais não sejam retirados pela PEC 287 e também para garantir a nossa paridade e integralidade. Não descansaremos até que todos os profissionais da segurança pública sejam retirados da “PEC da Maldade” definitivamente”, declarou André Luiz Gutierrez, presidente do Sinclapol.

A União dos Policiais do Brasil (UPB), que representa todos os profissionais de segurança pública do País, vem realizando sua “luta” em Brasília e os sindicatos fazem o trabalho em suas bases nos seus estados, em defesa da aposentadoria policial. “É uma irresponsabilidade essa PEC 287, pois é contra os policiais em geral. A quem interessa uma polícia velha e sem condições de trabalho dignas? Como vão correr atrás de bandidos com 60 ou 65 anos? Se essa PEC 287 for levada adiante, haverá GREVE GERAL, por tempo indeterminado, com a participação de todos os profissionais de segurança pública. Como vão ficar as coisas? Não basta o que aconteceu no Espírito Santo? Não vamos desistir, lutamos pelos nossos direitos e unidos somos mais fortes”, concluiu André Luiz Gutierrez.