SINCLAPOL

Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná


Facebook SINCLAPOL Twitter SINCLAPOL Filiar-me ao SINCLAPOL
Policial Civil

SINCLAPOL ESTARÁ VIGILANTE AS AÇÕES DO GOVERNO

Na manhã desta sexta-feira (18) 115 presos foram transferidos da Central de Flagrantes para o sistema penitenciário. O motivo, mais uma vez foi a superlotação de presos naquele local, fato denunciado na última terça-feira (15) pelo Sinclapol. O sindicato recebeu um chamado urgente da Central de Flagrantes atendendo um pedido dos policiais civis. A cena, segundo o diretor de Assuntos Parlamentares do Sinclapol, Rohanito Navarro de Goes, não poderia ser mais impressionante, com 140 pessoas amontoadas em cubículos em um espaço de 30 m2, fétido e úmido, em condições desumanas.

Ainda a pedido dos policiais, os representantes do Sinclapol se deslocaram para o prédio ao lado,conhecido como CT e em seguida à delegacia de Vigilância e Capturas, que se encontravam em condições ainda piores.

Assumindo a Responsabilidade

Rohanito Goes disse que “o Sinclapol mais uma vez assume a responsabilidade que deveria ser dos gestores da instituição PCPR. Não fossem as denúncias feitas pelo Sinclapol à comunidade curitibana e paranaense o abuso contra a categoria Policial Civil estaria ainda ocorrendo. Por respeito aos policiais civis, presos custodiados e principalmente a nossa sociedade o Sinclapol continuará a acompanhar a situação nas delegacias de polícia civil pelo Estado do Paraná,” comentou.

COM CADEIAS SUPERLOTADAS, POLICIAIS PEDEM SOCORRO

Se medidas urgentes não forem tomadas pela nova Secretaria de Administração Penitenciária, criada pela gestão de Cida Borghetti, situações ainda mais dramáticas serão registradas em cadeias superlotadas.

A prova disto foi o chamado urgente recebido pelo Sinclapol (Sindicato das Classes Policiais Civis) na última terça-feira (15) na Central de Flagrantes, no Centro de Curitiba para atender os policiais civis que pediam socorro.

Medidas judiciais foram tomadas pelo Sinclapol com intuito de que sejam interditadas as carceragens das delegacias de Vigilância e Capturas, Central de Flagrantes e Centro de Triagem.

Os pedidos foram encaminhados tanto ao Ministério Público quanto ao Judiciário.
Confira abaixo a nota divulgada pelo sindicato.

O Sinclapol foi chamado na última terça-feira (15) com urgência na Central de Flagrantes, no Centro de Curitiba para atender os policiais civis que pediam socorro. Ao chegar flagramos cenas que se igualavam as masmorras medievais, 140 pessoas amontoadas em cubículos de não mais que 30 m2, fétido e úmido sem nenhuma condição de abrigar qualquer ser, mesmo que esse tenha praticado delito, sem dignidade do profissional de segurança pública desenvolver seu trabalho neste local. A pedidos nos deslocamos até o prédio ao lado conhecido como CT, também no Centro de Curitiba, este com capacidade para 50 presos, contava naquele momento com 177 nas mesmas condições daqueles que estavam na Central. Logo ao lado do CT está a delegacia de Vigilância e Capturas, que não tem celas, mas estava custodiando 12 presos em um cômodo comum sem ventilação e iluminação.

Esse é um triste exemplo da atual situação da centenária PCPR. É a realidade que policiais civis e comunidade vivem em relação a nossa polícia civil do Paraná. Hoje temos um mini presídio no centro da capital paranaense que abriga de forma desumana e ilegal 329 presos.

Como cidadãos, não podemos permitir que uma má gestão destrua a história de uma instituição centenária que sempre atendeu as demandas do cidadão e hoje é tratada com irresponsabilidade por parte de seus gestores e governo e digo parlamentares estaduais são também responsáveis por grave ameaça que pode levar a PCPR ao fim.

Rohanito Navarro de Goes

Diretor de Assuntos Parlamentares

SITUAÇÃO CAÓTICA

O presidente do Sinclapol, Fabio Rossi Barddal Drummond registrou a situação caótica e desumana vivida em carceragens. Confira nos vídeos abaixo.

 

 

 

 

O QUE DEVE SER SERÁ

Na antiguidade, assim como nos dias de hoje, quando um fato foge ou fugia da explicação lógica e racional, o mesmo era atribuído às forças divinas, sobrenaturais, ou a teoria de que os fatos se repetem sazonalmente e que o que era para acontecer, indubitavelmente, aconteceria. Atualmente o que se escuta nos “corredores” da Gloriosa Polícia Civil, dita por alguns é que o salário que recebemos hoje, iríamos receber de qualquer forma e que é a consequência natural das coisas.

Será que foi o destino que nos deu um aumento de 153,70% em nosso salário de 2009 até 2014, ou o governo, num ato de generosidade, resolveu nos agraciar pelos bons serviços prestados à população e também, a título de gratificação à classe, nomeou 512 novos policiais. Será que essas coisas aconteceram por obra do acaso, sem qualquer tipo de empenho humano, simples providencialismo? Será que iremos contrariar a teoria que “nada sai do nada,”ou seja, se colocarmos nada em um local, daqui a mil anos continuará sendo nada!

Então algo foi feito e a tese de que o que deve ser será não se mantém, ou será?

 

Cyro José Vicelli

Tesoureiro Geral do Sinclapol

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

OLHA AÍ O PERIGO DE NOVO Temer se diz disposto a suspender Intervenção Rio por Reforma da Previdência

Com dificuldades de aprovar a reforma da previdência, Michel Temer anunciou que, depois das eleições, pretende convidar seu sucessor para, juntos, tentarem aprovar a proposta ainda este ano. Temer se diz convencido de que, seja quem for o presidente, terá de aprovar a reforma.

“Estou disposto a fazer um acordo com o futuro presidente, porque ainda dá tempo de aprovar a reforma da Previdência neste ano, em outubro, novembro e dezembro”, disse o emedebista, nesta sexta-feira (11) ao Estadão.

Pesquisa realizada pelo instituto Vox Populi, a pedido da CUT e divulgada em novembro do ano passado, apontou que 85% dos brasileiros são contra a reforma da Previdência, que veem como “o fim da aposentadoria” e 71% acham que não vão conseguir se aposentar.

O emedebista amenizou a intervenção federal na segurança pública do Rio, que impede a aprovação de emendas constitucionais. Segundo Temer, o decreto da intervenção prevê sua duração até 31 de dezembro deste ano, mas nada impede uma negociação para suspender a intervenção militar. “Quando ele [novo governador do Rio] for eleito, vou chamá-lo e perguntar o que ele quer que eu faça [com a intervenção], manter, não manter…”.

Fonte: Brasil247

 

HOMENAGEM ÀS MÃES.

Em uma data tão importante o Sinclapol não poderia deixar de homenagear às mães, mulheres de fundamental importância em nossas vidas. Elas são exemplo de fidelidade, trabalho, coragem, determinação e principalmente, amor incondicional, sem egoísmo, pensando apenas em nosso bem estar.

O que dizer então, da mãe e mulher policial. De maneira destemida, elas aceitaram o desafio de entrar em uma área, até então, com predominância masculina e se tornaram um exemplo para nós, tanto na vida profissional, como familiar.

Além de ótimas profissionais, elas nunca deixaram de priorizar o cuidado com a família, conscientes de que através desta dedicação serão formados homens e mulheres de caráter e responsabilidade.

A vida para estas mulheres é uma oportunidade para encarar e vencer os desafios e ensinar, através destas atitudes, aos que estão próximos a elas.

 

Parabéns a todas as mães.

 

Fabio Rossi Barddal Drummond

Presidente do Sinclapol

Fazer o RG em Curitiba é mais difícil do que garantir um ingresso para Copa da Rússia

Em entrevista ao Jornal Gazeta do Povo sobre a dificuldade para emissão da carteira de identidade em Curitiba, o 1º vice-presidente do Sinclapol, Daniel Luiz Côrtes destacou a falta de pessoal para realização deste trabalho. Confira, na íntegra, a matéria.

Enquanto medidas para resolver o martírio da emissão das carteiras de identidade não saem do discurso, curitibanos sofrem com a falta de servidores para atender demanda do sistema sobrecarregado.

Conseguir documento de identidade em Curitiba é mais difícil do que garantir um ingresso para a Copa da Rússia. A média de espera dos curitibanos que acessam o site do Instituto de Identificação do Paraná (IIPR) para agendar atendimento é de dias e até meses. O tempo de espera na fila virtual para garantir espaço em um dos 12 estádios no maior torneio mundial de futebol é de algumas horas. Um dos motivos para esse descompasso é simples: faltam servidores. O governo anunciou abertura de concurso e processo de terceirização para ampliar o atendimento, porém, sem prazo definido. Enquanto isto, vagarosamente a estrutura física na capital vai sendo ampliada. A dúvida fica na eficácia da medida, já que os novos postos serão operados com o contingente atual.
 
Talvez você já tenha passado pela experiência. Entrar no site do Instituto de Identificação para tentar agendar o atendimento para fazer a carteira de identidade e se deparar com a seguinte resposta: “no momento, não tem horários disponíveis no município de Curitiba”. O jeito foi seguir tentando, correto? Então aqui vai uma dica: uma boa estratégia é abrir a página virtual pouco antes das 9 horas, horário de abertura das vagas, esperar o relógio rodar e ser rápido. Parece uma gincana. Os 387 primeiros levam o prêmio, processo que demora em torno de 15 minutos. Depois disso, só no dia seguinte.
 

A explicação é simples: falta gente. De acordo com o Instituto de Identificação, o Paraná conta com 283 papiloscopistas, profissionais responsáveis por realizarem a identificação humana, para atender todo o estado. Um quadro já defasado considerando que o estado possui 500 vagas. Mas, de acordo com as contas do Sindicato das Classes Policiais Civis do Paraná (Sinclapol), a quantidade de profissionais que está na ativa é ainda menor. “Eles não estão considerando os policiais que estão afastados por licença-médica, por exemplo. Além do que 12 papiloscopistas estão fora da função”, critica o vice-presidente do Sindicato, Daniel Luiz Santiago Côrtes.

De acordo com ele, para que o serviço prestado pelo Instituto de Identificação fosse ideal seriam necessários 750 policiais com essa especialidade, lembrando que eles atuam em outras áreas que também são prejudicadas pelo baixo contingente, como na coleta de pistas em locais de crime. O último concurso estadual para a função foi realizado em 2010. Os aprovados foram empossados aos poucos. A última leva de nomeados foi contratada ano passado, totalizando 116 profissionais efetivados ao longo de oito anos, informou o órgão. 

Leia mais...

O FUTURO DA POLÍCIA

Nesta quinta-feira dia (10), o presidente do Sinclapol, Fábio Rossi Barddal Drummond e o 1º vice-presidente, Daniel Luiz Santiago Côrtes foram recebidos na sede do Sindicato dos Policiais Federais, pelo presidente, Francisco Carlos Breus e vice Edson Carlos da Silva para discutir o resultado das ações realizadas em Brasília na defesa das garantias e direitos da aposentadoria policial, através da UPB, Cobrapol e Federação Sul.

Na oportunidade foram discutidas ações futuras para a classe policial no combate a PEC/287, que retira garantias dos policiais. O SINCLAPOL e o SINPEF/PR fortaleceram sua parceria na defesa e combate a projetos oriundos do governo federal que venham atingir os direitos da classe. Fabio Barddal ressalta que manter este elo, entre entidades sindicais de polícia é de suma importância para a sobrevivência das mesmas e também para o êxito das nossas demandas junto ao poder público.

FECHADO PARA DETETIZAÇÃO

O Sinclapol informa a seus filiados que não haverá expediente na tarde desta sexta-feria, dia 11 de maio. A sede do Sindicato estará fechada para detetização. O expediente voltará normalmente na próxima segunda-feira, dia 14 de maio.

NOTA DE FALECIMENTO

Aos amigos e familiares comunicamos que o velório do escrivão de polícia aposentado, Airton Adonsk deverá ter início aproximadamente às 15h desta quinta-feira (10/05/18, na capela Vaticano Diamante, com cerimônia de despedida às 9h do dia 11/05, posteriormente o enterro dia 11/05/18 (sexta-feira) às 10h30min, no cemitério municipal do Boqueirão).

Agradecemos a todos pelo apoio e solidariedade prestada à família.

CHEFE DA CASA CIVIL RECEBE O SINCLAPOL

No último sábado, dia 04 de maio, diretores do Sinclapol participaram da reunião com o deputado federal, Dilceu Sperafico, atual Secretário Chefe da Casa Civil do Paraná. A reunião foi realizada com diretores e policiais da 20ª SDP de Toledo.

Durante o encontro, o Sinclapol apresentou ao secretário, várias de nossas demandas como dificuldades administrativas e operacionais enfrentadas pelos policiais civis, nas suas atribuições constitucionais, provocadas pelo desvio de função e o baixo efetivo de pessoal nas delegacias do Paraná.

Na oportunidade, o deputado federal, Dilceu Sperafico explicou que com a nomeação do novo Secretário de Administração Penitenciária foi criada uma comissão para dar andamento aos projetos das obras dos presídios. Os projetos serão retomados, segundo agenda. De acordo com o chefe da Casa Civil, a previsão é de que sejam entregues (03) três unidades prisionais. O Sinclapol estará acompanhando a execução destas obras fiscalizando o cumprimento da agenda governamental.