SINCLAPOL

Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná


Facebook SINCLAPOL Twitter SINCLAPOL Filiar-me ao SINCLAPOL
Policial Civil

Paraná registra 59 fugas de presos neste ano; caso mais recente ocorreu em Ipanema

59 fugas em 37 dias. Esse é o balanço do ano feito com base no número de presos que escaparam de carceragens de delegacias do Paraná desde o primeiro de janeiro.

Para os representantes dos policiais civis os episódios vão continuar, dada a manutenção de presos nas unidades, que são inadequadas à guarda. Já o governo do estado afirma que é impossível esvaziar as cadeias.

O caso mais recente – até o fechamento desta reportagem – foi registrado na madrugada de segunda para terça-feira, no balneário de Ipanema, em Pontal do Paraná.

Foram nove presos que estouraram o cadeado da carceragem e conseguiram escapar por volta de 1h da madrugada.

Antes disso, houve casos na segunda, quando seis escaparam da delegacia de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, e outros três fugiram da carceragem em Terra Rica, no noroeste do estado.

Fazendo essa linha do tempo caminhando para trás até o primeiro dia do ano de 2018, o levantamento já soma 59 fugitivos segundo informação da Associação dos Delegados de Polícia do Estado.

Para Fabio Drummond, presidente do Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado, essa quantidade de fugas tem relação com a falta de estrutura das delegacias, justamente porque elas não deveriam ter função de guarda de presos.

Sobre carceragens que representam maior preocupação, Drummond crava que todas são risco.

Em entrevista à imprensa durante agenda pública em Cascavel, o governador Beto Richa afirmou que só será possível zerar a situação dos presos em carceragens com a entrega de obras de novas unidades para o sistema penitenciário e ponderou que enquanto isso não acontece os presos tem que ser colocados em algum lugar.

A promessa do governo do estado é de reforma ou construção de 14 penitenciárias com quase sete mil novas vagas, além do incremento na utilização de tornozeleiras eletrônicas para dar conta da população que é mantida nas carceragens.

Dentre os projetos de novas unidades apenas duas já tem os canteiros de obras em pleno funcionamento.

Fonte: CBN - A radio que toca notícia - Repórter Cristina Seciuk

05 DE FEVEREIRO: DIA DO PAPILOSCOPISTA.

A carreira de papiloscopista é concorrida e exige muita dedicação do profissional que deseja seguir este trabalho. A função conta com peculariedades desconhecidas de muitos, mas de importância fundamental na vida da maioria da população, tais como: confecção da  carteira de identidade, atestado de antecedentes criminais: análise de fragmentos; análise de fragmentos encontrados em locais de crimes; além de perícia e coletas desses materiais; desenhos papilares de palmas das mãos, pontas dos dedos, plantas dos pés, dados que auxiliam nas investigações. Estas são algumas das funções que faz do trabalho do papiloscopista, uma atividade importante que exige responsabilidade e competência.

Nesta data, 05 de fevereiro. Dia do Papiloscopista,o Sinclapol presta a sua homenagem a este profissional que dedica o seu trabalho em benefício de muitos.

Júlio Reis é o novo Secretário de Segurança Pública do Paraná.

Em entrevista coletiva realizada na manhã desta segunda-feira (05) no Palácio Iguaçu, o Governador Beto Richa (PSDB) anunciou a saída do secretário de segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp) Wagner Mesquita. O novo secretário escolhido pelo Governador foi o delegado, Júlio Cezar dos Reis (foto), que ocupava o cargo de delegado-geral da Polícia Civil do Paraná.

Novo Secretário

Júlio Reis está há mais de 20 anos na Polícia Civil do Paraná. Ele assumiu o cargo de delegado- geral em dezembro de 2014. O novo secretário é pós-graduado em gestão de políticas públicas e em Direito Penal. Já comandou a Divisão Policial do Interior (DPI) e a Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), além das Subdivisões Policiais de Cascavel e de Pato Branco e várias delegacias regionais. O novo comandante da Polícia Civil ainda não foi definido pelo Governador Beto Richa.

Agradecimento

O Governador Beto Richa elogiou o trabalho realizado pelo ex-secretário de segurança, Wagner Mesquita e agradeceu a sua participação no Governo do Paraná, “com toda a sua dedicação, um secretário muito preparado, sério em toda a condução à frente desta importante pasta, complexa e delicada,” destacou.  

Expectativa

A classe dos Policiais Civis do Paraná tem boas expectativas com a gestão do novo secretário de segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp) Júlio Cezar dos Reis.

Governo do Paraná autoriza concurso para escrivão da Polícia Civil.

Uma das muitas lutas travadas pelo Sinclapol foi vencida pela classe. Nesta quinta-feira, dia 1º de fevereiro foi autorizado pelo Governo do Estado do Paraná a realização de novo concurso para o cargo de escrivão da Polícia Civil do Estado do Paraná. Serão abertas 100 vagas imediatas mais cadastro reserva.

A autorização do concurso foi uma resposta ao trabalho incessante do presidente licenciado do Sinclapol, André Luiz Gutierrez junto ao Governador Beto Richa para a solução do grave problema da falta de efetivo na Polícia Civil do Paraná. Gutierrez, mesmo assumindo a presidência da Cobrapol-Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis, sempre manteve o apoio ao Sinclapol e policiais civis do Paraná.

O trabalho do Sinclapol junto ao governo do Paraná não foi interrompido, ao contrário, as ações foram intensificadas, lideradas pelo atual presidente, Fabio Barddal Drummond.

A falta de escrivães é uma das situações mais grave registrada na Polícia Civil do Paraná. As últimas nomeações para o cargo foram realizadas em 2014. Desde então, o Sinclapol, através de sua diretoria, vinha intensificando sua luta pela realização de novo concurso e consequente contratação de policiais.

Nomeação de Delegados

Além da autorização do concurso para escrivão, também serão nomeados para o cargo de delegado, 20 aprovados no último concurso realizado em 2013.  

COBRAPOL promoverá ampla mobilização em Brasília para barrar a ‘reforma’ da Previdência

Diretoria promove sua primeira videoconferência e decide, também, participar do Movimento BASTA! para as eleições de 2018

A Diretoria da COBRAPOL promoveu nesta terça (30) sua primeira reunião através do sistema de videoconferência e decidiu promover, a partir do dia 5 de fevereiro, uma ampla mobilização de representantes de suas entidades filiadas – federações e sindicatos, no Congresso Nacional, com o objetivo de barrar a aprovação da PEC 287/17, de autoria do Poder Executivo, que trata da chamada “reforma da Previdência”.

Leia mais...

Justiça determina interdição de carceragem da Delegacia de Furtos e Roubos

Decisão também obriga estado a transferir todos os detentos

A 2ª Vara de Fazenda Pública de Curitiba determinou a interdição imediata da carceragem da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), no bairro Cristo Rei. A decisão proíbe a entrada de novos presos, sob pena de multa diária ao governo do estado, e também exige a transferência de todos os detentos do local até o dia 25 de abril.

De acordo com ação do Ministério Público do Paraná (MP-PR), um inquérito civil constatou inúmeras irregularidades, como superlotação e inexistência de estrutura interna mínima que garanta o respeito à dignidade e aos direitos presos. O órgão também questiona a estrutura externa e segurança da população que vive no entorno da delegacia.

Na decisão, o juiz Tiago Gagliano Pinto Alberto, aponta que a população carcerária do local sempre esteve acima do limite. “Não fosse apenas o problema relativo à superlotação, o relatório da engenharia aponta a inexistência de aeração, solário, janelas, iluminação e instalação elétrica adequadas, nos termos das normas de regência do assunto”, diz.

O juiz também diz que os encarcerados passam 24 horas por dia confinados em suas celas ou cômodos, sem qualquer acesso à luz solar ou a espaço para a prática de esportes.

A decisão obriga o governo do estado a transferir todos os presos até 25 de abril, sob pena de pagamento de multa diária no valor de R$ 5 mil. Cada novo preso colocado na unidade também pode gerar multa de R$ 5 mil.

Fonte:Banda B

 

Justiça determina interdição de carceragem da Delegacia de Furtos e Roubos

Decisão também obriga estado a transferir todos os detentos

A 2ª Vara de Fazenda Pública de Curitiba determinou a interdição imediata da carceragem da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), no bairro Cristo Rei. A decisão proíbe a entrada de novos presos, sob pena de multa diária ao governo do estado, e também exige a transferência de todos os detentos do local até o dia 25 de abril.

De acordo com ação do Ministério Público do Paraná (MP-PR), um inquérito civil constatou inúmeras irregularidades, como superlotação e inexistência de estrutura interna mínima que garanta o respeito à dignidade e aos direitos presos. O órgão também questiona a estrutura externa e segurança da população que vive no entorno da delegacia.

Na decisão, o juiz Tiago Gagliano Pinto Alberto, aponta que a população carcerária do local sempre esteve acima do limite. “Não fosse apenas o problema relativo à superlotação, o relatório da engenharia aponta a inexistência de aeração, solário, janelas, iluminação e instalação elétrica adequadas, nos termos das normas de regência do assunto”, diz.

O juiz também diz que os encarcerados passam 24 horas por dia confinados em suas celas ou cômodos, sem qualquer acesso à luz solar ou a espaço para a prática de esportes.

A decisão obriga o governo do estado a transferir todos os presos até 25 de abril, sob pena de pagamento de multa diária no valor de R$ 5 mil. Cada novo preso colocado na unidade também pode gerar multa de R$ 5 mil.

Fonte:Banda B

 

EM ALERTA A SOCIEDADE – Marun: “reforma da Previdência será votada de qualquer jeito”

24 de Janeiro de 2018  

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun,convocou uma entrevista coletiva nesta terça-feira (23), no Palácio do Planalto, para afastar rumores de que a reforma da Previdência poderia ser votada em novembro, após as eleições.

Responsável pela articulação política do governo Temer, o ministro disse que a reforma será votada “de qualquer jeito” em fevereiro e mostrou otimismo na aprovação.“Nós vamos colocar em votação em fevereiro para ganhar. Temos a convicção de que teremos esses votos no dia 19 de fevereiro”.

“Queremos reafirmar, a decisão e a disposição do governo em votar a reforma da Previdência ainda no mês de fevereiro. Qualquer notícia em contrário não tem sinergia com a realidade. É isso que trago, já que surgiram notícias de que o governo cogitava outro tipo de cronograma, e isso não condiz com a realidade das discussões que estamos tendo”, garantiu Marun.

As “notícias em contrário” a que Marun se referiu surgiram de declarações do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, na segunda-feira (22), divulgadas na imprensa, nas quais disse que a votação da reforma da Previdência poderia ficar para novembro.

Fonte: Agência Brasil

SINCLAPOL SE REÚNE COM SECRETÁRIO DE SEGURANÇA.

Contrariando notas e manifestações contrárias à atuação do Secretário Wagner Mesquita, o Sinclapol foi recebido no início desta semana, dia 15 de janeiro, pelo Secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita, para debater sobre os problemas dos Policiais Civis .

Estavam presentes na reunião, Del. Francisco José Batista da Costa, diretor geral da Secretaria de Segurança, Del. Marcia Tavares dos Santos, assessora civil e Jorge Ricardo de Oliveira, chefe de gabinete do Secretário de Segurança, além dos representantes do Sinclapol, presidente Fábio Barddal Drummond, o diretor jurídico, Evandro dos Santos Baroto, o diretor de assuntos parlamentares, Rohanito Navarro de Góes e o ex-presidente do Sinclapol e atual presidente da Cobrapol, André Luiz Gutierrez.

Fábio Barddal procurou deixar claro ao Secretário que suas críticas são institucionais, apontando situações estruturais que devem ser resolvidas na Polícia Civil. Wagner Mesquita, por sua vez, reafirmou sua determinação e empenho no sentido de concretizar a retirada e o fim da custódia ilegal de presos, que hoje se encontram em delegacias de policia, de forma que o DEPEN (Departamento Penitenciário) assuma integralmente sua responsabilidade com a execução penal. “O Secretário demonstrou interesse e preocupação no sentido de solucionar estes problemas que se arrastam há décadas e prejudicam tanto a atividade policial civil.” Comenta Barddal.

Instalação de Shelters no 11º DP

O Sinclapol se manifestou absolutamente contrário à manutenção de policiais civis prestando serviços em unidades de execução penal pertencentes ao DEPEN. Um exemplo é exatamente a questão do 11º Distrito Policial da Capital, pois o mesmo hoje se denomina Cadeia Pública de Curitiba nº 1 e pertence ao DEPEN, como diversas delegacias pelo Estado, conforme resolução 76/2013, nos termos dos Decretos 4199/2012, 6392 e 6393/2012.

O Secretário assumiu o compromisso de transferir o 11º DP para outro prédio tendo em vista que ali é cadeia pública como acima demonstrado, entregando efetivamente o prédio para o DEPEN.

Desta forma os policiais que trabalham naquele local irão voltar a realizar o seu trabalho de Policial Civil através da investigação. “Ficamos satisfeitos, com o compromisso firmado pelo Secretário e confiamos que os presos só retornarão para aquele local quando ele efetivamente os recolher como Cadeia Pública de Curitiba Nº1,” diz Barddal.

Conforme estabelecido, iremos conferir tudo isto, junto com o Secretário em uma visita a Cadeia Pública de Curitiba Nº 1, quando será reafirmado este acordo, então publicamente. Para o presidente do Sinclapol, “este acordo foi de extrema relevância, pois define como será o procedimento da Sesp com relação a presos”.

Estatuto da Polícia Civil

Ainda durante o encontro com Wagner Mesquita ficou acordado sua participação nas reuniões da comissão do Estatuto da Polícia Civil, sendo a próxima prevista para o dia 25 de janeiro. “O objetivo é entregar o estatuto ao governador logo no inicio de fevereiro. O Secretário se comprometeu em participar das reuniões e defender os interesses da categoria promovendo a modernização da instituição através do novo estatuto, atendendo assim, anseios da categoria,” destaca o presidente.

A busca de soluções para os problemas da segurança pública devem sempre se sobrepor à intenções políticas de grupos, desta forma consideramos descabidas as declarações de associações e entidades que se sentem atingidas, pelo que se ventila, pelo fim de alguns privilégios, da ineficiência do Secretário Mesquita frente à pasta, principalmente pela alegação de que teria privilegiado a Polícia Civil em detrimento de outras instituições, lembrando que somente a questão de alimentação de presos, faz com que os gastos sejam percentualmente desproporcionais a elas. Através da atitude em buscar solucionar o problema de presos, com a instalação das celas modulares, somado as obras das novas penitenciárias, demonstra a busca de dar eficiência à pasta e com isso finalmente termos a possibilidade da retirada total dos presos das delegacias, pleito maior da categoria, podendo ser este o grande motivo das manifestações contrárias, pois sem presos em delegacias poderemos mostrar nossa eficiência, evitando a usurpação de função e sua falsa justificativa.

 

Secretário de segurança fala sobre a polêmica das celas modulares durante inauguração de delegacia

Durante a inauguração da Delegacia Cidadã de Fazenda Rio Grande, o Secretário de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita, falou sobre a polêmica que envolve a construção de celas modulares em Curitiba. As seis celas que tem capacidade pra abrigar 72 presos, foram construídas em anexo ao 11º Distrito Policial, na Cidade Industrial de Curitiba, e são criticadas pelo Sindicato que representa os policiais civis. Segundo o Sinclapol, as celas são inseguras e deveriam ser construídas longe das delegacias.

Fonte RICMAIS - https://pr.ricmais.com.br/balanco-geral-curitiba/videos/secretario-de-seguranca-fala-sobre-a-polemica-das-celas-modulares-durante-inauguracao-de-delegacia/

“Gravíssima”, diz ministra Carmen Lúcia sobre condição de presos do Paraná

Em visita a Curitiba, a presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça classificou como gravíssimo o problema dos presos no estado do Paraná. A declaração foi dada pela ministra Carmen Lúcia à equipe da TV Justiça, após a vistoria feita no Complexo Penitenciário de Piraquara.

A ministra Carmen Lúcia permaneceu no presídio por aproximadamente duas horas, durante as quais conheceu duas das suas unidades prisionais. Ela foi acompanhada por representantes do governo do estado e teria se mostrado incomodada com a situação das delegacias paranaenses, que ainda mantém a custódia de aproximadamente 9 mil presos.

Questionada sobre quais conclusões seria possível tirar da visita ao Paraná, Carmen Lúcia citou o problema das carceragens, classificado por ela como “gravíssimo”.

Sobre as delegacias, o diretor do Departamento Penitenciário do Estado, Luiz Alberto Cartaxo, afirmou que explicou à ministra as soluções pensadas pelo Paraná, em especial as prometidas 14 novas penitenciárias.

Além de representantes do governo, a presidente do Conselho da Comunidade na Execução Penal,  advogada Isabel Kugler Mendes, também acompanhou a visita nesta terça-feira (09).

À imprensa, ela avaliou positivamente a vistoria, mas falou na necessidade de contrapontos à situação apresentada pelo governo do Paraná a Carmen Lúcia.

Isabel Mendes destacou o impacto da diferença entre os espaços apresentados à ministra. A Unidade de Progressão, chamada de UP, é um projeto piloto, considerado modelo; já a Casa de Custódia é – segundo Isabel Mendes – a realidade do estado.

A visita da ministra Carmen Lúcia ao Paraná já estava programada, mas não tinha data prevista para acontecer. A presidente do Supremo veio a Curitiba depois de vistoriar unidades de Goiás.

Repórter Cristina Seciuk
Fonte site CBN - CBN1 -