SINCLAPOL

Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná


Facebook SINCLAPOL Twitter SINCLAPOL Filiar-me ao SINCLAPOL
Policial Civil

AUDIÊNCIA EMERGENCIAL DE SEGURANÇA PÚBLICA 2017.

 

O Diretor de Assuntos Parlamentares do Sinclapol/PR, Rohanito Navarro de Góes estará participando da Audiência Emergencial de Segurança Pública 2017, a convite da União dos Conselhos Comunitários de Segurança do Paraná.

O encontro acontecerá nesta terça-feira, dia 15 de agosto, às 19:00 hs , no Salão da CCJ - Comissão de Constituição e Justiça, localizado na Praça Nossa Senhora da Salete, s/n, no Centro Cívico, em Curitiba.

Na pauta haverá apresentação de Propostas para Criação de Decretos Lei Sobre Segurança Púbica.

AUDIÊNCIA EMERGENCIAL DE SEGURANÇA PÚBLICA 2017.

   

O Diretor de Assuntos Parlamentares do Sinclapol/PR, Rohanito Navarro de Góes estará participando da Audiência Emergencial de Segurança Pública 2017, a convite da União dos Conselhos Comunitários de Segurança do Paraná.

O encontro acontecerá nesta terça-feira, dia 15 de agosto, às 19:00 hs , no Salão da CCJ - Comissão de Constituição e Justiça, localizado na Praça Nossa Senhora da Salete, s/n, no Centro Cívico, em Curitiba.

Na pauta haverá apresentação de Propostas para Criação de Decretos Lei Sobre Segurança Púbica.

Projeto de Lei – Diária Especial

Após esforços deste Sinclapol e em conjunto com a SESP, foi encaminhado para a Assembléia Legislativa do Paraná, projeto de lei onde institui a diária especial por atividade extrajornada voluntária.

Este projeto contempla policiais civis, polícia científica, policial militar, bombeiro militar, entre outros.

Em primeira e rápida análise, estamos sendo contemplados com o devido projeto de lei do Governo do Estado e cabe ressalvar que aproximadamente há sessenta dias, esse Sindicato, na pessoa de seu presidente, André Gutierrez e diretores, em conjunto com o secretário de segurança, Dr. Wagner Mesquita, seu diretor geral, Dr. Francisco Batista da Costa, já lutavam para que a polícia civil fosse inserida em tal projeto.

Na foto o presidente do Sinclapol-PR , André Gutierrez, com o secretário de segurança, Wagner Mesquita e o Diretor de Assuntos Parlamentares Rohanito Goes.

Leia mais...

FALTA DE INVESTIMENTO AGRAVA SITUAÇÃO DA POLÍCIA CIVIL NO PARANÁ.

A Diretoria do Sinclapol-PR voltou a focalizar a grave situação vivida pelos policiais civis, no Paraná com o desvio de função e a falta de efetivo desses servidores. O problema já se arrasta há alguns anos. Ao contrário do que vem sendo ventilado pela mídia, o trabalho com manuseio de presos, no Paraná, é realizado por investigadores e não por delegados. O desvio de função, impondo aos policiais civis o cuidado com os presos vem desgastando gradativamente os servidores. O stress já começa com os plantões nas delegacias aumentando o risco destes profissionais.

Os constantes apelos de instituições como o Sinclapol-PR  bate de frente com o descaso do governo estadual com a falta de investimentos na segurança pública.

Hoje, a Polícia Civil do Paraná conta com o mesmo efetivo que possuía em 1982. As carceragens nas delegacias apresentam condições degradantes e são comparadas as masmorras medievais atingindo, inclusive, a saúde dos policiais em serviço.

Leia mais...

GUTIERREZ ASSUME A COBRAPOL.

A partir de primeiro de agosto, o presidente do Sinclapol/PR, André Luiz Gutierrez irá assumir, interinamente, a presidência da Cobrapol – Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis. Gutierrez irá substituir o presidente, Janio Bosco Gandra, que está participando do Encontro Internacional de Entidades Nacionais dos Policiais dos Países de Língua Portuguesa – OIP e continuará na Europa em férias.

Na ausência de Gutierrez, estará assumindo a presidência do Sinclapol/PR, o atual vice-presidente, Fabio Rossi Barddal Drummond.

NOVAS VIATURAS SÃO ENTREGUES

O Governo do Paraná entregou agora no final de junho/17 novas viaturas para as polícias Civil, Científica e Militar.

São viaturas de modelos diversos que em sua maioria foram destinadas ao interior do Estado.

Coube à Polícia Civil a entrega de 200 veículos da marca Renault/Duster 2.0 Flex, todas descaracterizadas, as quais serão utilizadas para os trabalhos investigativos das delegacias.

Estiveram presentes na solenidade o presidente do Sinclapol André Gutierrez como também membros da diretoria.

A iniciativa do Governo foi recebida de maneira favorável pelos policiais civis, deste que sejam para serem usadas ao fim que foram destinadas.

A falta de policiais civis é um problema entre inúmeros dos que afligem a Polícia Civil. “Destina-se viaturas para investigações mais não temos pessoal para investigar, pois além da falta, existem os que estão fora de funções, como por exemplo, na guarda de presos de forma irregular”, diz o vice-presidente Daniel Côrtes. “Vai chegar ao ponto que teremos viaturas, mas não teremos quem dirija, teremos armas de última geração, mas não teremos quem use, computadores e demais equipamentos para os escrivães e papiloscopistas, mas não teremos nem escrivães e nem papiloscopistas”, complementa Daniel.

Há tempos o Sinclapol vem alertando as autoridades sobre essa situação caótica vivida pelos policiais do Paraná. Com o ajuste fiscal feito entre Governo Federal/Governo Estadual foram

proibidas quaisquer contratações e concursos públicos para a área. Com a eminência da PEC 287 então, houve uma corrida de funcionários em requerer suas devidas aposentadorias causando com isso um buraco no quadro de pessoal.

O Governo fala em contratações, mas em contrapartida não observou o número expressivo de policiais que quando não afastados por problemas de saúde, falecimentos, entraram com pedidos de aposentadoria.

A HISTÓRIA SE REPETE?

Hoje estava revendo alguns artigos da antiga Guarda Civil aqui onde agora é a sede do Sinclapol e me deparei com uma matéria muito interessante a qual reflete o que hoje acontece novamente na polícia.

Cita a matéria que para consertar as finanças mal equilibradas do Estado, havia um trabalho que culminaria com o desaparecimento da Guarda Civil.

A matéria é datada de 17 de setembro de 1920 e foi publicada novamente no jornal Gazeta do Povo de 17 de setembro de 1989. Sessenta e nove anos se passaram de 1920 a 1989, e, não vimos nada de diferente. Salários sempre achatados e quadro funcional defasado, deixados para trás por “autoridades” porque polícia não dá voto  para ninguém. Prender as pessoas é no mínimo impopular, principalmente quando a prisão tem repercussão política.

Estamos em 24/07/2017, ou seja, mais 28 anos se passaram e o governo continua achatando o seu servidor policial, pois, segundo alardeia aos quatro ventos, ele precisa consertar as finanças. Com isso continua a tentar fazer desaparecer a polícia civil, pois a guarda civil já conseguiu.

E agora Policiais do Paraná, a história se repete novamente, pois passaram-se 97 anos e o governo novamente diz que para equilibrar as finanças precisa de medidas drásticas para consertar o caixa do governo.

Não podemos e nem deixaremos que a história se repita, caso contrário, estaremos fadados à extinção.

 

 

Reivindicação do Sinclapol-PR é reconhecida pelo MP-PR

Uma batalha que vem sendo travada há alguns anos pelo Sinclapol-PR finalmente foi reconhecida pelo Ministério Público do Paraná – MP-PR. Esta semana, o órgão se manifestou contra a ilegalidade que o Governo do Paraná vem cometendo contra a Polícia Civil do Paraná, custodiando presos em delegacias no Estado. A medida esta exigindo que o governo cumpra com a retirada de presos das delegacias paranaenses e foi anunciada ontem pela mídia.

Desde 2009, o Sindicato vem trabalhando para acabar com esta ilegalidade no Estado pedindo providências ao MP-PR inclusive com Ação Civil Pública junto a 2ª Vara da Fazenda Pública contra o Governo do Estado. Finalmente a instituição reconheceu que o trabalho realizado pelo Sinclapol é de grande relevância em favor da classe policial e para a sociedade, também prejudicada por esta ilegalidade.

O Sinclapol-PR continuará trabalhando intensamente, visando cobrar e fiscalizar essas ações, pois os maiores prejudicados com esta ilegalidade tem sido os policiais lotados nas delegacias e a sociedade, usuária dos serviços policiais.

Link: MPPR participa da primeira reunião sobre TAC dos presos em delegacias

 

SINCLAPOL/PR PARTICIPA DO III COFEIPOL SUDESTE.

Inicia nesta quinta-feira, dia 20 de julho, o III Cofeipol Sudeste – Congresso Extraordinário Interestadual dos Policiais Civis da Região Sudeste, na Sede da ASPCEMG, em Lagoa Santa, Minas Gerais.

Palestras

No Congresso serão abordados assuntos como, Desafios e Perspectivas da Valorização do Profissional da Investigação Criminal. O presidente do SINCLAPOL-PR, André Gutierrez, estará falando sobre a “Estrutura Federativa e Confederativa para o Fortalecimento da Categoria”.

Também serão abordados temas sobre o Projeto “Oficial de Polícia Judiciária-OPJ”, por Ana Paula Cavalcanti e Francisco Lucas de Oliveira, palestrantes do SINPOL/CE – Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará, além do tema “Da Unificação à Carreira Única, Aspectos Jurídicos e Sindicais.”

O Congresso Interestadual dos Policiais Civis da Região Sudeste, se estenderá até a próxima sexta-feira, dia 21 de julho.